30

01/2018

WhatsApp Business

São Paulo – O WhatsApp Business chegou recentemente ao Brasil e está disponível para smartphones Android. Ele se posiciona como uma ferramenta de comunicação com consumidores com capacidades mais sofisticadas do que as dos tradicionais e-mails. A ideia é o poupar um recurso escasso para empreendedores: o tempo.
 
Com 270 milhões de mensagens enviadas diariamente–grande parte em empresas–, o e-mail ainda está longe de morrer. Mas, para se ter uma ideia da quantidade de mensagens trocadas via WhatsApp, foram 75 bilhões de envios no último Ano-Novo.
 
Um estudo da consultoria Morning Consult indica que pequenas empresas no Brasil e na Índia usam o WhatsApp para falar com clientes. E mais: o aplicativo ajuda no crescimento dos negócios.
 
Mais veloz, inserido na vida dos brasileiros e funcionando mesmo com sinal fraco de internet, o WhatsApp tem condições para ser um ótimo substituto dos antigos e-mails. É possível até mesmo enviar arquivos de 100 MB pelo aplicativo, enquanto no Gmail, por exemplo, o limite é de 25 MB (arquivos maiores são colocados no Google Drive, serviço de nuvem da empresa).
 
Alguns dos recursos mais importantes para empreendedores de pequenas empresas são a automatização de mensagens, que permitem atalhos para textos padronizados mais longos, e as estatísticas de mensagens, importantes para verificar o quanto o aplicativo foi útil para os negócios.
 
Ele não poderia ser uma boa alternativa ao e-mail sem herdar um dos melhores recursos de organização: as etiquetas. E, claro, a companhia comprada por mais de 20 bilhões de dólares pelo Facebook em 2014 e que espera monetizar o aplicativo para empresas com recursos extras, não deixaria essa importante característica de fora do WhatsApp Business.
 
Não só etiquetas pré-definidas podem ser usadas, mas também é possível criar novas para personalizar a sua experiência de uso do app.
 
Com mais de 100 milhões de brasileiros usado o WhatsApp no Brasil (mais de 1,2 bilhão mundialmente), o aplicativo pode se tornar uma importante ferramenta para empresas. Mas, talvez, ainda não seja a hora de abandonar o e-mail. Esse antigo método de envio de mensagens ainda tem 3,7 bilhões de usuários globalmente.
 
Fonte: Exame

18

12/2017

WhatsApp Ads? Opção nova no Facebook Ads mostra que isso é possível

Entrar em contato com clientes por meio do WhatsApp é uma dificuldade enfrentada diariamente por muitas empresas, que o fazem de maneira informal.
 
Mas uma novidade que tem sido lançada aos poucos pode ajudar nessa tarefa. Isso porque o Facebook, que desde 2012 comanda o aplicativo, liberou para algumas contas a possibilidade de fazer anúncios que, quando clicados pelo usuário, levam para uma conversa no WhatsApp.
 
A ideia é permitir que o possível consumidor entre em contato com a empresa mais facilmente, de forma semelhante a que já acontece no Messenger do Facebook.
 
No Messenger (veja o exemplo na imagem abaixo), a funcionalidade está disponível desde 2015.
 
 
Fonte: TechCrunch
 
Com a novidade, um ecommerce, por exemplo, pode comprar anúncios que iniciem conversas sobre assuntos relacionados ao seu negócio pelo WhatsApp e, mais tarde, utilizar o canal para fazer ofertas ao usuário.
 
A ferramenta ainda não está disponível para todos os anunciantes — aqui na RD, por exemplo, ainda não temos acesso.
 
Para descobrir se já está disponível em sua conta, inicie uma nova campanha no Power Editor e em Objetivo de campanha veja se já existe a opção Mensagens. Se houver, você pode escolher entre Messenger e WhatsApp.
 
 
Fonte: Ricardo Celso
 
A novidade representa mais uma tentativa de monetização do WhatsApp, que em julho de 2017 alcançou a marca de 1,3 bilhão de usuários.
 
No início de setembro de 2017, por exemplo, anunciamos aqui no blog que uma versão do aplicativo voltada para negócios está em fase de testes com um grupo de empresas selecionadas.
 
Na época da aquisição do WhatsApp pelo Facebook, foi prometido que o aplicativo de mensagens não mostraria propagandas aos usuários.
 
O Messenger, por outro lado, já inclui anúncios. Resta aguardar para saber se o mesmo acontecerá com o app de mensagens mais utilizado no Brasil.

 

Fonte: resultadosdigitais.com.br

03

06/2017

Heineken surpreende em campanha de marketing contra machismo de forma criativa e bem humorada.

A Heineken sempre costuma surpreender com muita criatividade em suas campanhas de marketing. Em 2016, criou uma ação no facebook com objetivo de quebrar o paradigma de que apenas homem gostam de futebol e cerveja.  Frequentemente, a marca promove eventos para consumidores assistirem de uma forma especial e bastante vibrante aos jogos de futebol de um campeonato bastante conhecido em todo o mundo, a UEFA Champions League, com uma grande festa reunindo diversos fãs e proporcionando atividades durante o evento, como também a apreciação da cerveja. No último ano, realizou uma campanha  para o facebook produzindo um vídeo onde três casais de namorados saiam para um jantar a dois, onde os homens eram surpreendidos com um convite para assistir a final da Champions League em uma festa promovida pela Heineken em seu país e também um voucher para presentear sua namorada com 4 dias em um SPA. Durante o evento, tiveram uma outra surpresa, no telão onde passaria a partida tão esperada, surge um vídeo com suas namoradas em um suposto SPA, onde agradeciam a oportunidade de estar vivenciando aquele momento, porém para a surpresa deles logo percebem que se tratava de uma pegadinha e ao invés de estarem um SPA, elas estavam em Milão e diferentemente dos seus namorados, iriam assistir presencialmente a final da Champions League no estádio. Mas, elas também ganharam um voucher para presentea-los à assistirem juntos a final do ano seguinte no estádio. Com isso, a Heineken pôde passar a mensagem de que diferentemente de como boa parte do público machista pensa, as mulheres também podem apreciar cerveja e futebol. O conteúdo teve um apelo emocional, contou uma história clara e bem humorada, a campanha foi um sucesso e viralizou na Internet, teve muitos acessos e engajamento, acredito que a Heineken tenha alcançado uma boa visibilidade para sua marca e consequentemente a satisfação do público, principalmente feminino. 

 

Autor: Mário Dias

11

05/2017

7 grandes erros de marketing que a maioria das empresas comete

Conheça os principais erros das empresas quando o assunto é marketing

Quando o tema é marketing, além dos especialistas nesse assunto, muita gente acredita que conhece de tudo e está preparada para definir estratégias e planos.

Mas, acredite: marketing é uma ciência exata e exige conhecimento. A notícia boa é que é possível seguir algumas regras e minimizar muitos erros que acontecem com tantas marcas.

Confira aqui os 7 pecados capitais quando o assunto é marketing:

1 – “Achar” que conhece bem o seu cliente

Tenha certeza! Com um rápido levantamento você poderá conhecer, de fato, quem é o seu cliente.

Hoje, no marketing digital, o chamamos de persona ou avatar. Esse cliente deve ser descrito com detalhes, como idade, sexo, região em que mora, comportamentos, hábitos, medos, sonhos e desejos.

2 – Não conhecer a opinião das pessoas sobre o seu produto ou serviço

Muitas vezes, achamos que o que atrai o cliente é um determinado item do trabalho, mas, de fato, é outro. Conheça o que o seu usuário enxerga como proposta de valor para a sua marca e o porquê.

3 – Fazer uma venda e esquecer de se relacionar

A melhor venda é aquela que deixa o cliente satisfeito e encantado a ponto de recomendar a marca.

Então, crie um programa de relacionamento para “cuidar” do seu cliente. Pode ser uma ligação de pós-venda para verificar a satisfação com a entrega, o envio de um cartão de aniversário, um cupom de desconto para a próxima compra etc.

4 – Acreditar em soluções mágicas

No mundo dos negócios não há milagre, nem mesmo nas redes sociais. Muitas empresas acreditam que somente com campanhas de marketing digital irão atingir todas as suas metas.

Isso não é verdade, pois muitas vezes o produto ou a entrega apresentam problemas – ou até mesmo o público-alvo da campanha está equivocado.

5 –  Investir em ações imediatistas

Sem planejamento e acompanhamento não há resultados. Vale mais a pena investir em ações simples mensais do que em uma grade iniciativa que depois não será aproveitada.

Conheço muitas empresas, por exemplo, que fecham a participação em feiras de negócios, não convidam todos os seus clientes e prospects, não colhem os dados dos visitantes e não ativam esses contatos, desperdiçando dinheiro, tempo e energia.

6 – Subestimar a concorrência

No nosso mundo globalizado, é fundamental acompanhar o que o seu mercado está fazendo, no Brasil e exterior. Assim, além de ver o que as outras marcas estão aplicando, muitas vezes você saberá tendências que poderá adaptar para a sua empresa, com ótimos resultados. 

7 – Acomodar-se

Mesmo que a sua marca seja um sucesso, isso só reflete o aceto das ações do passado. Toda empresa precisa estar em um processo de melhoria continua, para se superar e entregar a melhor experiência aos clientes, sempre. E isso vale para o seu planejamento de marketing também.

Apesar de tantas novidades tecnológicas, métricas de acompanhamento e ferramentas, muitas vezes, no marketing, ainda vale a regra de outro dos antigos negócios, quando o dono da empresa atendia no balcão, chamava o cliente pelo nome, sabia do que ele gostava e como poderia entregar melhor o seu produto.

Hoje, tudo isso continua mais em alta ainda – vale lembrar.

Mônica Lobenschuss, especialista em Marketing Digital e fundadora da Social Lounge.

 

04

04/2017

Snapchat ganha função para buscar 'snaps' de usuários

O Snap anunciou nesta sexta-feira (31) a chegada ao Snapchat de uma nova opção para usuários fazerem buscas de fotos e vídeos publicados na plataforma.
A novidade é lançada dias após o Facebook, rival maior da rede social, ter anunciado um novo recurso para encorajar seus usuários a publicar fotos e vídeos com adesivos digitais e que somem, uma ferramenta consagrada pelo Snapchat.
O Snapchat vai permitir que usuários busquem por fotos e vídeos, conhecidos como "Snaps", publicados na opção "Nossa História" do aplicativo.
A função de busca, lançada em algumas cidades, é um complemento à curadoria das "histórias", em que snaps públicos sobre grandes eventos como o Grand Slam de Wimbledon ou o festival de música Coachella já aparecem.
Com isso, os Usuários poderão buscar por mais de 1 milhão de "histórias" no Snapchat, disse a Snap, tornando o aplicativo mais acessível.

Comparativo Snapchat x Facebook (Foto: Arte / G1)

23

09/2016

Google começa a liberar Allo, seu novo app de mensagens inteligente

Novo app recorre a inteligência artificial para entregar bate-papo personalizado. Aplicativo deve concorrer com o Messenger, do Facebook

O Google começou a liberar nesta quarta-feira (21) o download do app de bate-papo Allo. O app ainda está sendo lançado globalmente, e da mesma forma que o app Duo, lançado recentemente, o Allo ficará disponível para download para Android e iOS.

Da mesma forma que seus concorrentes, caso do Facebook e Apple, a nova ferramenta permite enviar vídeos, mensagens de voz e imagens.

E como ultimamente, o Google tem focado em machine learning, o Allo também não escapa de suas pretensões. O app recorre a ‘chatbots’ para entregar uma experiência mais personalizada aos usuários. Com ele, é possível fazer pesquisas na internet e até executar tarefas no smartphone sem abandonar a janela do app.

O recurso Smart Reply aprende como você responde mensagens e permite que você envie textos ou emojis que você usa com maior frequência de forma automática. Assim, quanto mais você usar o Allo, mais sugestões inteligentes ele dará para suas conversas. 

É um toque legal, mas quem tornará o Allo um sucesso ou um fracasso será o Google Assistant. A próxima evolução do Google Now, o Assistant é uma espécie de ajudante pessoal para suas conversas. 

Digite apenas @google (mesmo que no meio de uma conversa) para ver o Google Search buscar aquela foto de um gato que você tirou na semana passada ou a última pontuação do seu time favorito ou mesmo informações de um voo e a resposta para uma questão matemática,  além de procurar pela melhor rota para chegar a um determinado endereço ou mostrar restaurantes de um bairro.

Em resumo, qualquer coisa que você perguntaria ao Google Now, provavelmente você poderá recorrer ao mesmo pelo Google Assistant e mais.

O Allo ainda não criptografa mensagens de ponta a ponta por padrão, assim como o assistente do Google não consegue usar todas as coisas de aprendizado de máquina baseados na rede para ajudá-lo se você não souber o que você está falando. 

Outro recurso interessante permite que mensagens se "auto-apagam" quando programadas. Por exemplo, se você quiser manter uma conversa privada, você poderá acionar o Modo Anônimo para habilitar a criptografia de ponta a ponta e controlar o quanto mensagens devem ser mantidas salvas antes de elas expirarem, de cinco segundos a uma semana.  

O último app de bate-papo do Google também é exclusivo para mobile. Não há nenhuma previsão de que ele será disponibilizado para PC, Mac ou web. Algo que, de certa forma, é incomum para o Google. Até mesmo o WhatsApp tem sua versão para Windows, Mac e navegador. 

Brasil

Por enquanto, o aplicativo Allo se encontra disponível apenas para pré-registro no Brasil. Até o fechamento desta reportagem, a assessoria de imprensa do Google no País não precisou a data de lançamento para usuários brasileiros. A versão em português do blog da companhia informa que app chegará por aqui "nos próximos dias".

 

Fonte: idgnow.com.br

22

09/2016

Brasil é o 2º país com mais anunciantes no Instagram

Instagram: rede social alcançou 500 mil anunciantes, e Brasil é o 2º país no ranking global

São Paulo – A rede social Instagram está comemorando hoje uma marca importante. A rede social atingiu o número de 500 mil anunciantes ao redor do mundo.

Um dado interessante é que o Brasil faz parte dos cinco principais mercados de anúncios na rede social neste momento. Mais do que isso, o país perde apenas para os Estados Unidos, que ocupam o primeiro lugar. O top 5 ainda conta com Reino Unido, Austrália e Canadá. Note que o Brasil é o único país de língua não-inglesa nesta lista.

 

Publicidade

A rede ainda divulgou os cinco assuntos sobre os quais mais se anuncia: bens de consumo, e-commerce, varejo, entretenimento e tecnologia. As verticais (nome que a empresa usa para essas categorias) de cada país não são divulgadas.

Jim Squires, diretor de operações de mercado do Instagram, credita parte do sucesso a novas possibilidades que a rede social deu para perfis profissionais. Uma, bastante importante, é a popularização dos perfis de negócios.

Segundo Squires, o objetivo é continuar trabalhando na forma como os usuários interagem com os anúncios na plataforma. Ainda não existem planos para inserção de publicações pagar no Instagram Stories —formato inspirado no concorrente Snapchat. Squires, no entanto, ressalta que páginas oficias têm adotado o formato publicando conteúdo para seus seguidores.

O alto número de anunciantes não implica uma exibição maior de materiais para os usuários. “Isso representa mais anúncios interessantes para cada usuário e não mais anúncios exibidos para cada um deles”, falou Squires a EXAME.com.

Outra adaptação importante foi a mudança no formato dos links. De acordo com o Instagram, houve um aumento de 45% no desempenho dos anúncios.

Veja abaixo alguns números interessantes compartilhados pelo Instagram:

• 50% dos usuários seguem uma conta de empresa

• 60% das pessoas dizem ter conhecido um produto ou serviço pelo Instagram

• 75% dos usuários reagem após terem sido inspirados por um post (visitam um site, pesquisam, compram ou indicam a amigos)

 

Fonte: exame.abril.com.br

22

09/2016

Twitter passa a desconsiderar fotos e vídeos no limite de 140 caracteres

Mudanças foram anunciadas em maio e implementadas nesta segunda (19).
Novidades passam a valer ao redor do mundo em navegadores e apps.

O limite de 140 caracteres por publicação do Twitter passa a desconsiderar arquivos anexos -- como vídeos, gifs ou imagens -- e citações (RTs) a partir desta segunda-feira (19). As mudanças foram implementadas no mundo inteiro e valem para navegadores e aplicativos.

As novidades fazem parte de um pacote anunciado em maio pela rede social, e devem permitir tuítes mais longos no geral. Segundo a empresa, o objetivo é tornar "a experiências dos usuários mais intuitiva".
Outras mudanças estarão disponíveis nos próximos meses, como tuítes iniciados pelos nomes de usuários aparecerem para todos os seguidores, e não apenas para os envolvidos na conversa.

Fonte: g1.globo.com/tecnologia

31

08/2016

Fuja dos mitos de marketing que só atrapalham a sua empresa

Termos técnicos, lendas e mitos fazem parte do dia a dia do marketing e, muitas vezes, podem confundir o empreendedor. Para fugir dessas armadilhas, reunimos os sete principais mitos atuais e mostramos como dá para ser feliz, desenvolver a empresa e vender mais com atitudes simples:
 
Publicidade
 
Mito nº 1: “eu sei tudo sobre marketing”: isso é impossível, especialmente hoje em dia, pois, enquanto escrevo essa coluna, possivelmente, já surgiram novidades para melhorar os resultados de marketing das empresas. Se algum candidato à vaga de gerente de marketing ou até uma agência disser isso, fuja.
 
Mito nº 2: “é preciso ter muita verba de marketing”: toda empresa, de qualquer porte, hoje pode fazer um bom marketing nas redes sociais até com pouca verba. A criatividade, a qualidade nos posts e a interação com a audiência podem compensar a falta de investimento, em muitos casos.
 
Mito nº 3: “basta copiar o concorrente”: o que funciona para uma marca não é sinônimo de garantia para outra. Cada empresa tem os seus valores, diferenciais e a forma de conversar com os clientes. Nas redes sociais, a regra é ser autêntico, comprometido, acompanhar as novidades e usá-las quando for pertinente.
 
Mito nº 4: “redes sociais são coisa de adolescente”: quem ficou parado na Idade da Pedra precisa se conscientizar de que todos os seus clientes e prospects estão conectados nas redes e isso só vai ficar mais intenso. É um caminhos sem volta. Ou a sua empresa assume esse fato agora, e começa desde já a aproveitar os benefícios digitais, ou vai ter de fazer isso em breve (mas já vai ter perdido clientes para outras marcas).
 
Mito nº 5: “rede social é Facebook”: novos canais estão aparecendo e consolidando a sua vocação. Ter uma página no Facebook é básico, mas a empresa precisa estar onde estão os clientes. Se é loja de roupa, por exemplo, precisa estar no Instagram. Se é um negócio B2B, ative também o Linkedin. Os vídeos estão tomando o espaço dos textos. Então, vale a pena usar o YouTube, além de acompanhar o crescimento do Snapchat.
 
Mito nº 6: “para vender é preciso investir no Google Adwords”: você pode impulsionar posts no Facebook, montar campanhas de FaceAds e até usar a publicidade no Linkedin para vender, muitas vezes usando menos verba e saindo da competição acirrada do Google Adwords.
 
Mito nº 7: “campanha de e-mail marketing não funciona mais”: ao contrário, a comunicação por e-mail ainda é muito valorizada nas vendas. Mas hoje pode ser aprimorada com uma redação estratégica e próxima, que valorize o uso de gatilhos mentais e de técnicas de SEO (Search Engine Optimization) para melhorar a conversão.
 
O fato é que sempre há novidades no marketing e formas de usar melhor os recursos! Aproveite parte do seu tempo para se atualizar e conhecer o que o mercado está fazendo. Estudando casos de sucesso, muitas vezes, você terá mais conhecimento e ainda poderá ter ideias para aplicar no seu negócio.
 
Fonte: Exame.com

25

08/2016

WhatsApp começa a compartilhar dados com Face

O WhatsApp anunciou nesta quinta-feira (25) uma mudança na forma como lida com os dados dos usuários, com o objetivo de compartilhar informações com o Facebook. A rede social é dona do mensageiro, considerado o aplicativo mais popular do Brasil. A mudança tem relação com uma atualização nos termos de serviço do WhatsApp, aquele conjunto de regras jurídicas com as quais todo internauta concorda ao instalar o programa.
O que significa WhatsApp em português? Veja essa e outras curiosidades
De acordo com o WhatsApp, essa é a primeira vez que os termos de uso e privacidade são alterados nos últimos quatro anos. Entenda o que muda para você.
Compartilhamento com o Facebook
A imagem que você vê abaixo retrata uma mensagem que os usuários do WhatsApp passarão a receber a partir de hoje nos smartphones com Android e nos iPhones (iOS). Será desta forma que o WhatsApp pedirá autorização para vincular o número de celular com o perfil no Facebook.
 
Mensagem de compartilhamento de dados entre WhatsApp e Facebook (Foto: Divulgação/Facebook)Mensagem de compartilhamento de dados entre WhatsApp e Facebook (Foto: Divulgação/Facebook)

 

 

Os usuários que não quiserem o compartilhamento dos dados terão "até 30 dias para decidir se gostariam de concordar e continuar utilizando o WhatsApp". O WhatsApp esclareceu ao TechTudo que não será mais possível rejeitar a mudança depois que o prazo de 30 dias acabar. Além disso, os novos usuários serão obrigados a aceitar a nova política de privacidade e termos de uso para usar o aplicativo – eles não terão escolha.
A integração do WhatsApp com o Facebook permitirá à rede social saber "com que frequência as pessoas usam nosso aplicativo e também conseguiremos ser mais eficazes no combate ao spam". A mudança nos termos de serviço também possibilitará "melhores sugestões de amizade e anúncios mais relevantes" no Facebook.
A lógica é a seguinte: ao trocar mensagens com uma loja pelo WhatsApp, a possibilidade de ver uma propaganda desta loja no Facebook aumenta. Além da rede social, o compartilhamento dos dados também poderá valer para outros aplicativos mantidos pelo Facebook, como o Instagram e o MSQRD.
O escritório do WhatsApp ressaltou que não vai exibir publicidade estilo banner – como as imagens publicitárias vistas em páginas da internet – nas janelas do mensageiro. "Por exemplo, você poderá receber notificações sobre o status do voo de sua viagem, um recibo de uma compra que você tenha feito, ou uma notificação assim que uma entrega tenha sido feita. Mensagens de marketing que você venha a receber poderão conter ofertas de algo que lhe interesse", explica a documentação oficial do aplicativo.
Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone
 
Criptografia e privacidade
 
Tela de confirmação de código de segurança no WhatsApp (Foto: Luciana Maline/TechTudo)Tela de confirmação de código de segurança no WhatsApp (Foto: Luciana Maline/TechTudo)
Apesar de explorar os dados dos usuários para gerar mais receita para o Facebook, o WhatsApp afirma que continua comprometido com a proteção das mensagens enviadas a amigos e grupos. A criptografia de ponta a ponta foi ativada no primeiro semestre de 2016 e impede que o próprio WhatsApp, o Facebook e terceiros interceptem o conteúdo das mensagens em texto, imagem ou vídeo.
"Nós também não iremos vender, compartilhar ou disponibilizar o seu número de telefone para anunciantes", informa a nota.
 
Fonte: techtudo.com.br


Contato

Local


© Diastec 2014 - Todos os direitos reservados

Avenida Mato Grosso, 667 - Bairro dos Estados
João Pessoa - PB, 58030-080
(83) 98860-0061 / (83) 98885-0061